quarta-feira, 14 de abril de 2010

cigarra.

Cecília despertou com a garganta a doer muito,
conseguiu fazer pouco além de desenhar quadrados e afins.
Havia sonhado que lhe faziam confissões...
Sentiu falta do sudeste e das lições por dias mais frescos;
passear de barco com o sol esquentando o rosto.
Aqui o frio começa a fazer ouvir seu uivo
e Cecília não sabe se está pronta,
provavelmente os mantimentos estocados não serão o suficiente.
Cecília, cigarra triste e silenciosa.

4 comentários:

  1. Nesse frio (aqui tá um friozinho tímido) queria ir num café e fumar um cigarro com vc!

    ResponderExcluir
  2. falando em cigarras, tempo que n as vejo.
    ;O)

    ResponderExcluir
  3. Cecília, cigarra triste, silenciosa e solitária. Diga-a pra acender um cigarro.

    beijo.

    ResponderExcluir
  4. Cecília não canta na boêmia, ao contrário, trabalha como formiga, vive como um animal enjaulado, louco.
    Belo texto!

    ResponderExcluir