segunda-feira, 11 de julho de 2011

de encontros com onças.

Ela sumiu.

Ela não consegue caminhar porque quebrou o pé esquerdo.

E por que não tem escrito aqui? Também quebrou a maquininha das idéias? Bateu a cabeça e ficou lelé-da-cuca?

Não, é que ela sabe pelo corpo. Uma parte dele avariada confunde todo o mecanismo de sapiência. Triste sina de quem é virado em bicho.

Bicho?

Lembram uma história que ela contou sobre o encontro com uma onça chamada Bernadete? Pois aconteceu de elas viraram uma só. Quando toparam uma com a outra, a onça espiou fundo os olhos dela e ela mirou firme os da onça. Deu nisso, viraram uma só, meio onça meio moça. Não se deve olhar muito certos seres que encontramos no caminho. Meio dia e seis da tarde, então, danou-se.

5 comentários:

  1. dizem que nunca devemos olhar nos olhos de um bicho...

    ResponderExcluir
  2. nossa...totalmente shamanica a atmosfera...

    a propósito, muito bom o nome da onça, Bernadete...ahahah

    ResponderExcluir
  3. Blog gostoso de ler.
    Olhar nos olhos é necessário, absorver o outro.

    ResponderExcluir